sábado, 20 de novembro de 2010

Dia Mundial de Oração e Ação pela Criança.


A Pastoral da Criança em parceria com a Rede Global de Religiões pelas Crianças (GNRC) celebrará neste sábado, 20,  o Dia Mundial de Oração e Ação pela Criança.
A data será comemorada com eventos em quatro capitais brasileiras: Brasília, São Paulo, Porto Alegre e Belém . O tema este ano é  “Reduzir a violência, a pobreza, e construir a paz”.

A Pastoral da Criança, que integra a GNRC, mobilizou a sua rede de mais de 260 mil voluntários e 1,4 milhão de famílias brasileiras acompanhadas em todos os estados brasileiros.

A oração foi impressa em folhetos e cartazes e, também no Jornal da Pastoral da Criança no mês de novembro, que será rezada nas 1,4 milhão de visitas domiciliares realizadas pelos voluntários da Pastoral da Criança, no mês de novembro, e também nas 42 mil Celebrações da Vida, dia em que as crianças são pesadas nas comunidades.
A data foi instituída durante o 3º Fórum da GNRC realizado em Hiroshima, no Japão, em maio de 2008. A proposta é direcionar, neste dia, todos os anos, orações e ações, sejam elas pessoais ou em grupos inter-religiosos para a proteção dos direitos e a promoção do bem-estar das crianças.

O dia 20 de novembro foi escolhido por ser o Dia Internacional da Infância, data em que foi proclamada a Convenção sobre os Direitos da Criança pela Organização das Nações Unidas (ONU).

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Vídeos...

video video

Quem somos?

 Diz-se um missionário alguém que tem por função a pregação religiosa em locais onde sua religião ainda não foi difundida, realiza trabalho de promoção social ou em local que necessite de reavivamento de sua crença ou religião. É uma figura comum dentro de diversas crenças. Na verdade dentro da concepção cristã, missionário é a figura do plantador de igrejas; Muitos confundem missões com atividades em regiões internacionais, porém, as missões podem ser locais, regionais, estaduais, nacionais, internacionais, mundiais, enfim, tudo vai do despreendimento do missionário.




http://pt.wikipedia.org/wiki/Mission%C3%A1rio










Histórico da Infância Missionária
A Pontifícia Obra da Infância Missionária foi fundada por Dom Carlos Forbin Janson, Bispo de Nancy, França, no ano de 1843.
Essa atividade missionária com as crianças foi motivada pelas cartas e notícias que missionários, principalmente da China, escreviam contando a realidade triste e dura das crianças naquelas regiões: doenças, mortalidade, analfabetismo, abandono...
A finalidade desta Obra ‚ suscitar o espírito missionário universal das crianças e adolescentes, desenvolvendo seu protagonismo na solidariedade e na evangelização e, por meio delas, em todo o povo de Deus: "Ajudar as crianças por meio das crianças", ou "criança evangeliza e ajuda criança", foi o grande lema do Bispo fundador.


Infância Missionária  nas Escolas
A Educação Cristã vivenciada nas escolas, tem como objetivo atingir a pessoa humana na sua totalidade. Portanto, faz-se necessário uma formação integral, humana e cristã dos educadores para que evitem a dicotomia entre o SER e FAZER educação, acreditando no protagonismo do educado.
A Infância Missionária na escola vem revelando uma nova forma de Evangelizar. A criança que atua de forma dinâmica e se insere nas atividades culturais, sociais, cívicas, recreativas e religiosas, não apenas como espectadores, mas como, construtores da história e de um novo jeito de Ser na Igreja, na escola e no mundo.
A Educação Cristã na escola envolve as famílias, cria associações próprias e desenvolve atividades de cunho social, cívico, cultural e religioso. São momentos fortes em que a criança e adolescentes revelam todo o seu protagonismo. E aí, as participação da família não pode faltar. Os pais sentem-se envolvidos e vibram por fazer acontecer a Obra Missionária. Há casos em que através desses eventos, levados pelo testemunho dos filhos, os pais são sensibilizados a uma vivência cristã autêntica, ajudando também o ingresso de outras crianças, da família na Infância Missionária.
Como se dá o desenvolvimento dessa Ação Missionária Missão na Escola? Quais as suas vantagens e desvantagens?
Primeiro: O contato permanente e direto com as crianças, facilita a formação de grupos de Infância Missionária, não a isola de seu ambiente e favorece a dinamicidade através das atividades a ela vinculada. Várias são as experiências neste sentido.
Gincanas, maratonas, visitas aos azilos e famílias carentes, Celebração do Rosário e Via-Sacra, Evangelização nas ruas, Palestras nas escolas públicas e nos movimentos Paroquiais.
O dia-a-dia da Infância Missionária e sua atuação na escola, tem ajudado aos pais e educadores a criar consciência Missionária; cooperar materialmente e abrir espaços á solidariedade.
Segundo: Diríamos porém que não é tão fácil trabalhar com a Infância Missionária na escola. O fundamental o apoio e o envolvimento da Direção da Escola, que ajuda a criar espaços de testemunho e apoio evangélico que perpassa através das atividades e compromisso dos Educadores(as) e de todos os segmentos da escola.
Como iniciar a Infância Missionária nas escolas?
Não existe uma foram única. De acordo com a realidade, verificar as reais possibilidades. O importante é dar espaço á criatividade e se deixar guiar pelo Espírito Santo que suscita e mantém nosso ardor missionário.
Precisamos estar atentos para que a Infância Missionária não se feche ou se limite apenas a realizar tarefas, desligados da vida da comunidade paroquial.
Os encontros devem acontecer fora do horário escolar. A Infância Missionária é uma opção, portanto não obrigatória no currículo. Ter bem presente, os compromissos da criança missionária.
Que os grupos sejam abertos para acolher crianças de outras escolas, bairros, centros, paróquias.
A Infância Missionária como uma ação na escola e para á Igreja, não deve ficar voltada para si mesma, mas olhar firme para a meta é O Reino. Olhar o mundo e a realidade que o cerca e assumir seu protagonismo, envolvendo a todos na Evangelização.
As características da espiritualidade sobretudo a experiência do Deus vivo, alimentada pela escuta da Palavra de Deus, participação nas orações e celebrações e a vivência dos Sacramentos é a mística que alimenta e sustenta a Infância Missionária.
Ter presente o seguimento de Jesus, sua missão e metodologia encarnada, para superação do individualismo e valorização dos dons de cada criança - protagonista da missão.

Metodologia

1. REALIDADE MISSIONÁRIA
(primeiro encontro, primeira semana) VER / DISCERNIR
2. ESPIRITUALIDADE
MISSIONÁRIA
(segundo encontro, segunda semana) / CELEBRAR
3. COMPROMISSO
MISSIONÁRIO
(terceiro encontro, terceira semana) / AGIR
4. TESTEMUNHO DE GRUPO /
COMUNHÃO MISSIONÁRIA
(quarto encontro, quarta semana)



 










Orando pelas crianças do Mundo

As crianças da Infância Missionária rezam o Terço Missionário pelas pessoas de outros continentes onde o Evangelho ainda não é conhecido ou está esquecido. Rezam também por crianças de outros continentes para que suas necessidades sejam sanadas, crendo na misericórdia de Deus





O Continente Americano é representado pela cor vermelha.
O Continente Europeu é representado pela cor branca.
O Continente Africano é representado pela cor verde.
O Continente Asiático é representado pela cor amarela.
O Continente da Oceania é representado pela cor azul.